Editorial

Realidade mensal




 
Na semana que antecede a passagem do 10º aniversário da chacina na antiga Cadeia de PN e com alguns adolescentes em evidência em nossas páginas policiais, é significativo registrar que, na noite de ontem, quinta-feira (17/8), transcorria, no Espaço Multiuso da Câmara/PN, debate sobre o enfrentamento das violações de direitos de crianças e adolescentes. Esta FOLHA teve acesso às estatísticas de julho, produzidas pelo Conselho Tutelar, as quais resumimos neste espaço.
 
 
Os conselheiros registraram 24 ocorrências de abandono , sendo 14 “de incapaz” (criança pequena) e 10 “de intelecto” (em idade escolar), bem como 5 casos de maus-tratos (físicos/1 e psicológicos/4). Foram 7 as ocorrências de “drogadição” e registros isolados (um cada) de mendicância, alcoolismo e abuso sexual.
 
Sobressaiu, ainda em julho, a questão do ensino, com falta de vagas em creches/2 e escolas/14, bem como a “infrequência” escolar/53 e casos diversos/24 relativos à educação e ao transporte escolar/17.
 
Não por acaso, no mês passado, o CT expediu 53 termos de advertência, realizou 35 visitas/sindicâncias e promoveu 72 casos de orientação/aconselhamento. Houve encaminhamento de crianças e adolescentes e/ou seus pais à Promotoria de Justiça/20 , ao Judiciário/17 e às Unidades de Saúde/15 e para atendimento psicológico/17, psiquiátrico/6 e até nos Alcoólicos Anônimos/3.
 
A estatística mostra, inclusive, em que regiões da cidade a realidade foi mais gritante em julho. Conforme os dados do CT, prevaleceram as ocorrências nos bairros de Fátima/24, Dalvo Bemfeito/17, Cidade Nova, Triângulo/12 cada, São Pedro/11 e  Vila Alvarenga/10.
 
Com menores proporções, os conselheiros foram chamados aos bairros Novo Horizonte, Bom Pastor/8 cada, Centro, Pacheco, Palmeirense/7 cada, Santo Antônio/6, São Geraldo/5, Ana Florência/4, Nova Copacabana, Progresso/2 cada e 1 em cada um desses locais: Pachequinho, Copacabana, Esplanada, Primeiro de maio, Triângulo Novo, Vale Suíço e Vila Oliveira.
 
Entra na estatística mensal a região rural, com 3 casos em comunidades distintas e 4 nos distritos de Vau-Açu/2 e Pontal/2. Não houve chamados para o CT nos bairros Araguaia, Guarapiranga, Nova Almeida, Palmeiras, Jardim, Rasa, Fortaleza, Rosário, Santa Tereza, São Judas Tadeu, Sumaré, Vale Verde e Vila Centenário.
Fica este relevante registro para a necessária reflexão cidadã.