Editorial

Novos salários




Os vereadores recebem, na sessão extra das 11h de hoje, sexta-feira (12/1), projeto do prefeito Wagner Mol/PSB aumentando em 6,5% os salários dos servidores municipais, que tiveram “reajuste zero” em 2016, o último ano da gestão Guto Malta/PT.

Por isso, em sua exposição de motivos, Wagner salienta que, “apesar do cenário que se apresenta para 2018 ser de redução de recursos orçamentários, o projeto visa garantir aos servidores a correção das perdas inflacionárias ocorridas durante o ano
de 2016, calculadas em 6,5% , as quais, somadas aos períodos anteriores, chegava ao percentual de 9,2%”.

O prefeito segue apostando na boa relação com os trabalhadores mencionando “substancial redução da citada perda acumulada”, acenando com perspectiva de  “muito em breve poder corrigir de vez a defasagem ainda existente, agindo de forma consciente e responsável, porém valorizando os seus servidores sob a premissa do merecimento e justiça”.

Ontem (11/1), no fechamento desta edição, nossa Redação ainda não havia obtido acesso ao projeto da Mesa Diretora da Câmara, que também será lido em plenário, prevendo “correção monetária” nos subsídios de agentes políticos (do Executivo e do Legislativo) e o reajuste na remuneração dos servidores da Câmara.

Se prevalecer a lógica de projeto similar do ano passado, o indicador para atualização dos vencimentos será de 6,5%, o mesmo percentual acordado pelo Executivo Municipal com os servidores, em recém-concluída negociação do Executivo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais/Sindserp.

De imediato, vale ressaltar que, em função dos protestos ocorridos em fev/2017 contra o reajuste para os recém-eleitos prefeito, vice-prefeito e vereadores, o projeto foi votado sem correção da remuneração dos ocupantes de cargos eletivos.

Neste contexto, no primeiro ano destes agentes políticos, a remuneração ficou “congelada” aos valores pagos em 2016, não se aplicando os 6,5% que elevariam - com valores retroativos à data da posse (1o/1) - os salários de cada vereador (para R$ 5.971,26), do prefeito Wagner (para R$ 16.122,40) e da vice-prefeita Valéria Alvarenga/PSDB (para R$ 4.777,01).

Aguardemos, pois, os valores que remunerarão os nossos dirigentes dos Poderes Executivo e Legislativo.