SAÚDE

Alerta: crise financeira ameaça sobrevivência do Cetervidas

20/06/2024 14:00




 Integrante do Conselho Fiscal do Centro Terapêutico Recanto da Vida/Cetervidas, a advogada Marli Aparecida Cunha Chaves apresentou balanço das atividades orçamentárias da entidade e solicitou ajuda da Câmara de Ponte Nova para a continuidade do funcionamento da entidade.

“Infelizmente, a notícia que temos para dar é que, se olharmos a data de hoje, o nosso Cetervidas vai fechar. Não existe milagre a ser feito com as despesas e as receitas”, resumiu ela, ao sublinhar que em 23 anos a instituição atendeu 520 dependentes de álcool e outras drogas.

Atraso geral

Marli revelou que atualmente todos os custos fixos da entidade são pagos com atraso. Detalhou ela: “E não é atraso de um mês, dois meses. Temos quatro meses do vencimento do aluguel do sítio, do escritório, do supermercado e das contas de luz, IPTU, Dmaes, gás e telefone.”

Ainda de acordo com a conselheira fiscal, estão com quatro meses de atraso, ainda, os encargos sociais e as remunerações de contador, psicóloga e funcionários em geral. Ela citou que o Cetervidas tem custos fixos mensais de R$ 11,5 mil e de R$ 137 mil por ano.

Marli informou que no início de suas atividades o Cetervidas, fundado em julho de 2001, não era subvencionado. A 1a subvenção municipal surgiu em 2003 (para o exercício de 2004) com o valor de R$ 14 mil. O total passou a R$ 23 mil em 2006. Os valores repassados subiram, chegando a R$ 110 mil em 2023, mas com queda para R$ 75 mil em 2024.

Acrescentou Marli: “A triste realidade do Cetervidas é que o pagamento da primeira parcela (R$ 30 mil) da subvenção deste ano só ocorreu em 20/4 e não podemos usar o valor para pagar a multa de R$ 4,4 mil gerada pelo atraso dos encargos sociais.”

A conselheira fiscal explicou que valores referentes a juros e multas são cadastrados numa conta que a entidade mantém a partir de doações de particulares, empresas e outras entidades.

Intervenção legislativa para o Cetervidas

Marli pediu ajuda dos vereadores para que a entidade sobreviva, pois tem déficit anual de R$ 62 mil e precisaria, ao menos, que a subvenção municipal retome o patamar de 2023 (R$ 110 mil). “Não temos de onde tirar dinheiro e não sabemos como vamos pagar os funcionários daqui para frente”, desabafou Marli.

Concluiu ela: “A gente precisa dessa intervenção legislativa. Que seja talvez através de emenda impositiva, mas precisamos de apoio para podermos continuar com este relevante projeto terapêutico.”

Os vereadores reconheceram a gravidade da situação e se comprometeram a ajudar com as citadas emendas. Mencionaram ainda o envio de ofício ao Executivo para que ocorra projeto complementar de reajuste urgente da subvenção anual.

Como contribuir

O Cetervidas é presidido por Thiago Moreira Silva e tem sede no Sítio Lagoa Seca, no km 2 da rodovia de acesso a Santa Cruz do Escalvado, onde são acompanhados atualmente 16 internos. A entidade sobrevive também de doações de voluntários e contribuição esporádica de alguns assistidos.

Quem quiser contribuir pode depositar qualquer valor na conta-corrente 00003436-2 (Operação 003) da agência 0146 da Caixa Econômica Federal. O CNPJ do Cetervidas é 04.556.087/0001.39.







UID:11659422/18/07/2024 11:01 | 0