CIDADE

Comitiva de Ponte Nova no ato dos servidores contra o Governo Zema

10/05/2024 14:00




 Comitiva de Ponte Nova, organizada pela Subsede local do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais/SindUte, aderiram à manifestação da Frente Mineira em Defesa dos Servidores Públicos, ocorrida nessa quarta-feira (8/5) em BH, no pátio da Assembleia Legislativa.

O movimento protestou contra o governador Romeu Zema/Novo pela proposta de reajuste de apenas 3,62% nos salários e pelo "desmonte dos serviços públicos, o qual compromete a entrega de demandas da população em diversas áreas", como informou nota do Sindicato.

A coordenadora-geral do SindUte/MG, Denise de Paula Romano, destacou: "Este dia de paralisação da  rede pública de Minas serviu para dizer ao Governo do Estado que 3,62% não chegam nem perto do que o Governo nos deve em relação ao Piso Salarial Nacional e não repõe sequer a inflação do último ano."

 Os sindicalistas ainda protestaram contra o aumento da contribuição mensal ao Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais/Ipsemg.

Conforme Denise, o Governo do Estado pretende estabelecer uma política de cashback: "O reajuste de 3,62%, mais a contribuição do Ipsemg, por exemplo, para professores que tenham acima de 59 anos, vai aumentar em 1,2%, então, serão 4,4%. Hoje, portanto, foi o dia de cobrar o Piso e que o reajuste seja satisfatório para a categoria."

Estudantes da Universidade Estadual de Minas Gerais/UEMG participaram do ato defendendo a manutenção dessa instituição, alvo de projeto privatizante do Governo, assim como a Copasa e outras empresas públicas. Os manifestantes também denunciaram as investidas do Governo Zema para acabar com os Institutos de Previdência de Servidores Civis e Militares.

Durante o ato, dirigentes sindicais e lideranças políticas se revezaram ao microfone do trio elétrico estacionado em frente à Assembleia Legislativa. Os discursos, além das críticas e denúncias, destacaram as mobilizações dos trabalhadores da educação e as paralisações regionais previstas para o próximo dia 13/5.

A deputada estadual Beatriz Cerqueira/PT disse durante o evento que a luta dos servidores públicos é essencial: “Não adianta o Governo dizer que tem orgulho do resultado do serviço público, utilizando estes serviços para propaganda e marketing, mas continuar com a prática da destruição. A Copasa leva água e expertise ao povo do Rio Grande do Sul, mas o Governo quer privatizá-la. Os bombeiros e policiais militares de Minas prestam serviço público no Sul, mas o Governo não paga o que eles merecem. Usa o marketing, mas quer privatizar a saúde pública, acabar com o Instituto de Previdência dos Servidores Civis e Militares.”

 







UID:11504496/21/05/2024 23:44 | 0