SAÚDE

Medicina sexual

03/04/2024 13:00




Leonardo Reis Cotta - Médico-urologista (CRMMG 36.747) 
 
Consultório no Medical Center - Av. Dr. José Grossi, 194 Sala 903 - Guarapiranga/Ponte Nova  * (31) 3817-2320 e 99598-7298
 
 Recentemente, participei de Simpósio de Medicina Sexual em São Paulo/SP, no qual foram abordados vários temas como disfunção erétil (impotência sexual), ejaculação precoce, terapia de reposição hormonal masculina, técnicas para o rejuvenescimento e aumento peniano e sexualidade na adolescência e em idosos.

A disfunção erétil afeta cerca de 30% dos brasileiros, gera um impacto negativo na qualidade de vida e pode ser a primeira manifestação de doença cardiovascular. Entre outros fatores, ansiedade, estresse, excesso de trabalho, depressão e doenças orgânicas, como diabetes mellitus, deficiência hormonal, tabagismo e obesidade são as principais causas.

Uma investigação detalhada é fundamental para o diagnóstico e tratamento corretos. Além dos medicamentos e injeções intrapenianas, novas técnicas, como a terapia por ondas de choque e a fisioterapia pélvica, são promissoras.

A ejaculação precoce é a disfunção sexual mais comum nos homens e afeta cerca de 35% em todas as idades. Ela pode levar a menor satisfação e ao rompimento no relacionamento. É importante a associação de terapia sexual e tratamento medicamentoso de uso contínuo ou sob demanda (usado uma a três horas antes da relação sexual).

A DAEM (Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino) ocorre quando há nível sérico baixo de testosterona associado a manifestações como: diminuição do desejo sexual, alteração do humor e da qualidade do sono, disfunção erétil, perda de massa muscular, obesidade central etc. É muito prevalente em homens a partir dos 40 anos, causando prejuízo à saúde e ao bem-estar.

A terapia de reposição hormonal pode ser feita com testosterona em gel e intramuscular e implantes subcutâneos. Ela é segura e comprovadamente benéfica quando bem indicada.

O tamanho do pênis e a sua estética sempre geraram grande preocupação nos homens. Várias substâncias, como silicone e gordura do próprio paciente, foram utilizadas para aumentar o tamanho do órgão. Recentemente o ácido hialurônico, muito utilizado em procedimentos estéticos, foi aprovado por órgãos responsáveis para ser utilizado no aumento do diâmetro do pênis. Isso melhora a autoestima e a confiança do homem durante as relações sexuais.

É fundamental, portanto, desmistificar e abordar o tema sexualidade em todas as idades, pois vida sexual saudável é importante para manutenção e satisfação do relacionamento.







UID:11414061/25/04/2024 05:09 | 0