SAÚDE

Novembro Azul pelo diabetes

16/11/2023 10:00




Laís Gonçalves Brasil -   Clínica Médica  e Endocrinologia / CRM 68.763 - RQE 48.367
 
Edifício Medical Center - Av. Dr. José Grossi, 194/Sala 506 - Guarapiranga/Ponte Nova 
* (31) 99869-8331  *  
Atende convênio do Plamhag/Hospital Arnaldo Gavazza
 
 O Brasil é o 5º país com maior incidência de diabetes no mundo, sendo que 1 em cada 10 pessoas tem esta doença. Desses, um terço vive com diabetes e não tem conhecimento real do diagnóstico, descobrindo apenas nos momentos de complicação clínica ou internação hospitalar, que podem deixar sequelas. 
 
Em 2021, foram comemorados os 100 anos da descoberta da insulina, um marco histórico para se refletir sobre o número de pessoas que vivem com diabetes, bem como a necessidade urgente de melhorar o acesso aos cuidados para os milhões de afetados.
 
O que você precisa saber sobre diabetes?
 
É uma doença crônica e não transmissível. Acontece quando o nosso corpo não produz mais insulina ou não consegue fazer a insulina atuar corretamente, com isso levando a um excesso de glicose, que é o açúcar na corrente sanguínea. Ela pode se manifestar em adultos, crianças e até gestantes, sendo o diabetes do tipo 2 o mais prevalente nos adultos e idosos. 
 
Como suspeitar de que alguém tem diabetes?
 
Seja adulto ou criança, podemos suspeitar de diabetes na presença de alguns sintomas como: beber muita água e ter sede intensa, fazer muito xixi, especialmente durante a madrugada, acordando várias vezes para ir ao banheiro, emagrecer mantendo o mesmo apetite.  
 
E como fazer o diagnóstico?
 
O diagnóstico é feito com alterações em pelo mesmo dois exames: glicemia de jejum, hemoglobina glicada e teste oral de tolerância a glicose. 
 
Em quem devemos ficar de olho para um diagnóstico precoce?
 
Pessoas com mais de 45 anos que tenham pressão arterial alta, obesidade acentuada, colesterol bom (HDL) baixo, triglicerídeos aumentados ou tabagistas. Além de mulheres com história de diabetes na gravidez anterior ou pessoas com história de diabetes em parentes de 1º grau, os quais possuem fatores de riscos para desenvolver esta doença no futuro. 
 
O que é o famoso pré-diabetes?
 
É quando os níveis de açúcar no sangue estão elevados, mas ainda não se fecha o diagnóstico de diabetes. É importante, porém, entender que o pré-diabetes é uma predisposição ao desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2 em até 70% dos pacientes em 10 anos. O mais interessante é que pode ser controlado, tratado e até revertido por meio de mudanças de estilo de vida, como atividade física regular, perda de peso e dieta adequada. 
 
Quem tem diabetes pode usar adoçante?
 
Pode sim e em pequenas quantidades. A maioria dos adoçantes são produtos de baixa caloria com alto poder de adoçar. Os mais naturais e indicados para consumo são: sucralose, estévia, xilitol e eritritol. Não há um adoçante proibido, e eles ainda são uma alternativa segura em substituição do açúcar branco comum, mascavo ou demerara, que devem ser evitados nos pacientes com diabetes.
 






UID:11414030/25/04/2024 05:00 | 0