POLÍCIA

Polícia Civil/MG dispensa o delegado regional de Ponte Nova

14/02/2023 14:15




- Notícia atualizada às 11h40 de 16/2/2023

 Na manhã desta terça-feira (14/2), esta FOLHA apurou, via Diário Oficial Eletrônico/MG, que a Polícia Civil/PC de Minas Gerais exonerou e/ou dispensou seis delegados lotados em diversas regiões do Estado. Entre os dispensados, estão Carlos Roberto Sousa e Silva, atual titular da Regional/Ponte Nova da PC, e Lujan Pinheiro de Souza, que já ocupou o cargo em Ponte Nova.

No fechamento desta notícia, nossa Reportagem não apurou os motivos da decisão. No entanto, o ato foi oficializado um dia depois de o chefe da PC mineira, Joaquim Francisco Neto e Silva, anunciar, pela Imprensa de BH, o estágio final da recomposição dos efetivos da Corporação.

Joaquim Francisco anunciou, para breve, as nomeações dos delegados aprovados em recentes concursos, prevendo, ainda, a publicação de um novo edital. A declaração de Joaquim ocorreu após reunião com dirigentes da Associação e do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado, como registrou a Folha Dirigida, jornal especializado em concursos públicos e empregos em geral.

Uma semana antes, em 8/2, o nome de Carlos Roberto foi citado em reportagem do jornal Estado de Minas, como indiciado pelo suposto crime de falso testemunho num inquérito movido pelo Ministério Público/MG. De fato, conforme o jornal da Capital, o MP encaminha procedimento contra o delegado Valter André Biscaro Salviano, também exonerado em 14/2.

Segundo notícia de 8/2, Valter respondia pela Regional de Araxá e, em 8/2, foi alvo de mandado judicial de busca e apreensão efetivado pela Corregedoria Geral da Polícia Civil. Valter é investigado e indiciado por supostos crimes contra a honra de integrantes do Conselho Superior da Polícia Civil e de perseguição contra a Chefia-Adjunta da Polícia Civil.

Carlos Roberto assumiu a Regional/Ponte Nova da PC em 22/7/2021 para substituir João Octacílio Neto (leia aqui). A esta FOLHA, Carlos Roberto disse, nesta terça-feira, que "em respeito à hierarquia da Corporação", se abstém de comentar a situação e falou o seguinte:

- “Em todo começo de Governo, acontecem essas transições. Há edital público já aberto para seleção de nomes para diversos cargos. Abrem-se oportunidades para regionais em várias áreas. Mesmo fora do cargo regional, mantenho meu compromisso com a população e continuando a trabalhar pela segurança pública”.

Hoje (16/2), a Imprensa da Capital noticiou que o governador Romeu Zema/Novo deve exonerar o chefe da PCMG, Joaquim Francisco, o qual saiu de férias em 15/2 e “estaria desgastado na relação com os policiais civis, sendo alvo de constantes críticas”. Um dos desdobramentos da mudança pode ser, segundo fontes, a retificação de recentes atos.







UID:11504438/21/05/2024 23:27 | 0