SAÚDE

HNSD pretende arrecadar R$ 3 milhões com rifa de carro e moto

10/07/2018 15:15




O Hospital de Nossa Senhora das Dores/HNSD programa mais uma iniciativa para minimizar a sua crise financeira, pretendendo arrecadar R$ 3 milhões até novembro, na forma de rifa de um veículo Fiat Moby e uma motocicleta Yamaha Factor, com orçamento total de R$ 40 mil.

Os veículos foram adquiridos a partir de quantia doada pelas empresas BCR/Bartofil e Laticínios Porto Alegre. Com aval do Ministério Público, a campanha terá registro no Ministério da Fazenda, conforme relatou José Maurício Castro, diretor-administrativo do HNSD, o qual falou à Imprensa ao lado de Carlos Bartolomeu, diretor da BCR.

Coube a Jaqueline Machado e Diogo Martins, da empresa Os 3 Comunicação, explicar o conceito da campanha, que será lançada em curto prazo. A venda dos 100 mil bilhetes vai de 1°/8 a 24/11/2018, dia do sorteio pela Loteria Federal. O slogan será “O HNSD está por um fio, mas há uma esperança”.

Ambos destacaram que 80% dos usuários do Hospital são oriundos do Sistema Único de Saúde/SUS. Pretende-se divulgar a rifa nos 57 municípios da Macrorregião Leste Sul da Secretaria de Saúde/MG, envolvendo as microrregiões de Ponte Nova, Manhuaçu e Viçosa, via Central de Captação de Recursos do HNSD, numa movimentação a ser gerida por comissão de vendas.  

Maurício sublinhou que a quantia arrecadada com a campanha (que inclui venda de camiseta e adesivo para veículos) deve custear o pagamento de juros bancários no período de um ano, otimizando a geração de capital de giro para a Instituição, que em fins de 2017 tinha dívida total de cerca de R$ 21 milhões.

Não por acaso, após amplo debate sobre a superação da crise, a partir do início do 2º semestre de 2017, a Irmandade do Hospital de Nossa Senhora das Dores assinou Termo de Ajustamento de Cooperação com o Centro/MG de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (via Ministério Público/MP da nossa Comarca). Com esta mediação, o HNSD está desde novembro sob “intervenção administrativa consensual”.

Providenciou-se então a contratação da  Viper Consultoria/BH para adoção de medidas administrativas saneadoras. Já no 1º trimestre deste ano, Maurício assumiu a gestão da crise financeira (revisão de contratos, renegociação de dívidas, corte de gratificações e readequação do quadro de pessoal) ao lado de José Bueno de Magalhães, dirigente do Hospital Arnaldo Gavazza (indicado pelo MP).

Para a acompanhar a situação econômica do Hospital, atua Comissão Interventiva composta de representantes de: Ministério da Saúde; Secretarias Estadual e Municipal de Saúde; Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de Minas Gerais/Cosems; e Consórcio Intermunicipal de Saúde da Microrregião do Vale do Piranga/Cisamapi.







UID:9062386/26/09/2018 03:44 | 0