SAÚDE

Cinomose: saiba como proteger seu pet deste mal

01/02/2018 19:00




*Rachel Cohen, Médica Veterinária - CRMV-MG 13170
Clínica Espaço Animal - Av. Francisco Vieira Martins, 973 - Guarapiranga/Ponte Nova - Fones:  (31) 3817-6118  e  9225-2342

A cinomose é uma doença grave, transmitida por um vírus e altamente contagiosa. Acomete cães, principalmente os filhotes, devido ao sistema imune pouco desenvolvido, porém pode atingir também animais adultos. É transmitida principalmente pelo contato direto de um animal sadio com um infectado através das secreções expelidas pelo doente. A sua transmissão, porém, pode ocorrer também por meio de fômites (objetos contaminados com agentes infecciosos).

A doença acomete vários sistemas do organismo, e sua progressão é rápida, normalmente se iniciando no aparelho respiratório e passando em seguida a apresentar sinais na região dos olhos e, por último, sinais neurológicos.

Os sinais mais comuns da doença são: febre, vômito, diarreia, corrimentos oculares e nasais, perda de apetite, alterações respiratórias, incoordenação motora. Na fase neurológica, ainda podem apresentar paralisia e convulsões.

Infelizmente, por se tratar de uma doença viral, a cinomose não tem um tratamento específico que leve o animal à cura, e a taxa de mortalidade é altíssima. O tratamento consiste na administração de medicamentos para aliviar os sintomas e fortalecer o sistema imune, sendo a prevenção através da vacinação a maneira mais eficiente de manter seu pet longe da doença.

A vacina polivalente (V8 ou V10) contém os antígenos da cinomose e de outras doenças, devendo ser administrada nos cães ainda filhotes com idade a partir de 45 dias. Dividida em 3 doses com intervalo de 21 dias, só oferece imunidade após administração da terceira e última dose, sendo necessário fazer o reforço anualmente.

O vírus é muito resistente a ambientes secos e frios, sendo a doença mais comum no inverno, porém está apresentando alta ocorrência no verão também. É tão resistente que pode sobreviver no local até 3 meses após a retirada do doente, portanto é sensível ao calor e a alguns desinfetantes, como hipoclorito de sódio (água sanitária) e amônia quaternária, sendo recomendada a desinfecção do local.

É importante ressaltar que o vírus da cinomose canina (CDV) não acomete seres humanos, gatos e aves.

Quem tem um cão em casa deve vaciná-lo e sempre estar atento aos reforços da vacina. Dê preferência para vacinas importadas. Proteja seu amigo: quem ama cuida!







UID:8595800/22/05/2018 12:32 | 0