SAÚDE

Condenado o ‘despejo’ de cães de uma cidade para outra

10/08/2017 18:00




Ocorreu, na tarde dessa quarta-feira (9/8), no Sítio Paraíso, em Piedade de Ponte Nova, o I Encontro de Câmaras Municipais sobre Zoonoses, com a temática “Cães abandonados: unindo forças para controle eficaz”. Ao final, encaminhamento de proposta de legislação piedadense sobre esterilização e adoção de cães e gatos, entre outros aspectos de "controle ético" da população desses animais.

As Prefeituras da região receberão modelo de legislação que contempla a efetiva ação de recolhimento de cães, abrigando-os em Centros de Zoonoses eficazes. O evento denunciou o abandono canino como realidade que afeta a saúde urbana “e cria um círculo de despejo de animais de uma cidade para outra, como uma rotina de serviço público clandestino”.

Ao lado dos demais vereadores, o presidente da Câmara local, João Carlos Silveira Pereira, e o prefeito Antônio Mayrink Bordoni, ambos do PR, recepcionaram convidados e representantes dos Legislativos de Ponte Nova, Jequeri, Oratórios, Rio Casca, Santo Antônio do Grama, Urucânia e Viçosa. Em nome dos prefeitos da região, compareceu Regina Carvalho Martins, secretária-executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde/Cisamapi.

Ao lado de alguns secretários, o prefeito Bordoni comprometeu-se a atender a demanda apontada no encontro. Note-se que a proposta do evento partiu de depoimento, no início deste ano, do vereador piedadense Flávio Magalhães da Cruz/PT, justamente propondo o fim da realidade pela qual cães são despejados num município, como parte de círculo vicioso entre cidades vizinhas.

Diversos discursos

O presidente João Carlos abriu a reunião reforçando o empenho do Cisamapi, a partir de reunião de 8/8, em Ponte Nova,  de atuar - perante as autoridades - contra a desativação da Maternidade e da UTI Neonatal do Hospital de Nossa Senhora das Dores/HNSD.

“Se o Governo não está preocupado nem com as crianças, o que dirá com os animais”, desabafou o presidente da Câmara de Rio Casca, Roberto Ribeiro/PDT, que pediu a colaboração da Câmara de Santo Antônio do Grama na busca de projeto microrregional na área de zoonose.

A vereadora viçosense Brenda Santunioni/PP informou que, naquela cidade, uma ONG de defesa da vida animal atua com apoio da Prefeitura e da Câmara. Segundo ela, a Administração Municipal já doou terreno para construção de abrigo de animais.

Já o vereador Gérson Ramos/PRB, de Urucânia, referiu-se à criação da Associação Urucaniense Protetora de Animais/AUPA, com finalidade similar à da entidade de Viçosa. Ele inclusive citou a formação de grupo - via Facebook - para coleta de comentários, sugestões e ajuda prática da população.

Para o advogado da Câmara piedadense, Klederson Piovezana Brum Mayrink, o Vale do Piranga está diante de problema regional, que deve ser atacado na origem (em cada cidade), de forma responsável e sem crueldade com os animais”.

Em sua palestra, Rafael Fontes Franco/médico veterinário da Univiçosa vê o abandono de cães como “problema nacional”, mas a responsabilidade de retirar animais da rua é da União, dos Estados e dos Municípios. Citando riscos para a saúde humana - como toxoplasmose e raiva, entre outras doenças transmitidas por cães -, Rafael defendeu maciça campanha intermunicipal de educação ambiental e instalação de completo Centro Regional de Zoonoses.

 







UID:7380187/24/08/2017 05:33 | 0